Histórico

A imigração alemã começou em São Leopoldo em 25.7.1824 com a chegada da primeira leva de imigrantes e, como resultado, veio a denominação de Berço da Imigração Alemã. Eram 39 pessoas que vieram contratadas pelo Governo Imperial de D. Pedro I e foram localizados na Real Feitoria do Linho-Cânhamo, às margens do rio dos Sinos. Eles eram colonos e artesãos oriundos dos trabalhos realizados na Alemanha desde a Idade Média. Com esses artesãos- Schmidt/ferreiro; Gerber/curtidor; Schuster/sapateiro; Müller/moleiro e tantos outros, nasceu a industrialização e, por isso, o Vale do Rio dos Sinos é conhecido como região industrial.

Na parte cultural podemos destacar as escolas espalhadas pelas picadas com o que o analfabetismo sempre foi menor na colônia alemã. Também as Sociedades de Canto, de Atiradores e de Ginástica são uma bela herança imigrantista. No terreno religioso cabe citar a vinda de evangélicos luteranos que foram a maioria entre os imigrantes. Esta síntese dá uma idéia da presença alemã no Rio Grande do Sul.

Para guardar essa notável história foi fundado em 20.9.1959 o primeiro museu dedicado ao assunto aqui referido: o Museu Histórico Visconde de São Leopoldo. O idealizador do Museu foi o Prof. Telmo Lauro Müller e de sua fundação participaram dez municípios que receberam o calor da presença alemã: São Leopoldo, Novo Hamburgo, Campo Bom, Sapiranga, Taquara, Rolante, Montenegro, São Sebastião do Caí, Feliz e Nova Petrópolis.

O Museu é uma entidade cultural privada, sem fins lucrativos, mantido por uma associação de amigos e a diretoria tem mandato de 2 anos. Seu acervo é formado por louças, móveis, instrumentos musicais, bandeiras de antigas sociedades, medalhas, alvos do tiro-ao-alvo, móveis, livros, jornais, documentos, fotografias.

Sede própria (1º etapa) inaugurada em 1985:

Av. Dom João Becker, 491
93010-010 São Leopoldo
Tel: (051) 3592 4557
e-mail: museuhistoricosl@museuhistoricosl.com.br